02/01/2010

FRÁGEIS BATIMENTOS


Estamos hoje na mesma vibe.
No mesmo triste despertar.
Mas enquanto nosso dedos tremem
a poesia mais distante
nos distrairá.
Estou sentada no chão do meu quarto
ouvindo Janis cantar meus pensamentos.
A cerveja distrai o meu cérebro
enquanto destroi meus frágeis batimentos.
Estamos hoje na mesma vibe
reverberando a música do amor.
enquanto nossos dedos tremem.
Talvez temendo não achar a cor.
LAC

2 comentários:

.•● Š|Mõë§lnha ●•. disse...

Aconselho-te a mudar a cor da letra, esse vermelho faz-me doer os olhos.
Abraços e continua *--*

jefhcardoso disse...

Olá Lac. Desculpe vir assim... meio na “correria”; mas é que estou divulgando meu último trabalho e gostaria de saber sua opinião sobre este assunto atual e sempre instigante; falo do conto “O Diário de Bronson” que trata do tema vaidade e verdades.
Espero a sua visita e prometo retornar com melhores modos e mais tempo. (sorrio).
Jefhcardoso do http://jefhcardoso.blogspot.com. Parabéns por seu blog e bela postagem!